terça-feira, 15 de Abril de 2014

Partilhar refeições saudáveis

Para isso tenho tido um especial cuidado com as refeições, além de caminhar imenso com o cão, 2 horas por dia, no mínimo.

Em casa, tinha o mau hábito de aquecer refeições pré-cozinhadas ou encomendar pizza sempre que chegava cansada a casa, quando não tinha tempo ou não me apetecia de todo ir para a cozinha preparar mais uma refeição.

[Eating Well]
Quando descobri o programa “Cook Yourself Thin” da Gizzi Erskine, achei que era uma boa ideia seguir os seus conselhos. Descobrir receitas que se preparam num instante, receitas semelhantes às pré-cozinhadas que comprava no supermercado e receitas que, por vezes, apetece comer quando me sinto mais deprimida como, por exemplo, massas com molhos, tipo carbonara.
O objectivo principal é controlar as quantidades de sal e gordura que as refeições pré-cozinhadas têm em excesso e poder, assim, continuar a comer pratos que, à partida, seriam menos saudáveis.

Em 2 meses perdi 5 Kg, sem qualquer exercício físico, além das caminhadas com o Yoshi!

Criar a tabela de ementa semanal também serve como incentivo para procurar mais receitas uma vez que, além de preferir variar bastante as refeições, não gosto de comer as coisas mais práticas de fazer como, por exemplo, bifes. Desde os meus 22 anos, quando comecei a praticar yoga, fui deixando de comer carne gradualmente, apesar de gostar de alguns enchidos e de uma boa feijoada! Como nunca gostei de peixe cozido, apenas de peixe grelhado e assado, as alternativas foram diminuindo. Mais tarde, descobri que sou alérgica à soja, o que também pôs, automaticamente, de lado muitas das refeições vegetarianas que fazia…

O desafio tem sido precisamente encontrar refeições fáceis de fazer, com sabor mas saudáveis. 

Vou passar a colocar, no blogue, refeições que vá fazendo e que me surpreendam pela positiva para poderes experimentar também.

domingo, 6 de Abril de 2014

Tabela da Ementa Semanal

Por esta altura já deves pensar que sou doida por listas e tabelas!
O vício começou quando fiz a minha primeira tabela das tarefas diárias. Foi apenas mais uma tentativa de encontrar uma forma de organização cá para casa e, como resultou, experimentei aplicar este conceito a outras coisas…

Passaram muitos anos desde que vi a primeira sugestão sobre criar uma ementa semanal para facilitar as compras do supermercado e o próprio trabalho na cozinha associado à refeição. A verdade é que nunca me atraiu muito e nunca pensei realmente por esta ideia em prática. Nunca me preocupei muito com as refeições. Apesar de gostar muito de cozinhar, principalmente para os outros, quando vivia em casa dos meus pais, era a minha mãe ou a empregada doméstica que tratavam disso e, nas férias de Verão, quando estava fora de casa, preparava saladas ou outras coisas muito práticas.

Mas, agora, com a casa para tratar, o cão, os estudos e a tentativa de recuperar algum tempo para mim, fazer refeições duas vezes por dia tornou-se numa tarefa chata. Chegava a hora da refeição e nunca sabia o que fazer. Lembrava-me logo da minha mãe quando nos pedia sugestões para a refeição seguinte e eu não percebia a razão para tanta preocupação se ainda há pouco tempo estávamos a comer!

A verdade é que, quando se chega tarde a casa, ir para a cozinha tratar de (mais) uma refeição é um suplício. Quanto mais imaginar o que fazer com o que se tem (ou não tem!) no frigorífico (porque já é tarde para descongelar…). Foi por isso que decidi dar uma hipótese a elaboração de uma ementa semanal.

Entretanto já faz um mês desde que criei a primeira tabela da ementa semanal cá para casa. Tem sido uma verdadeira ajuda e é muito fácil de fazer. A tabela que eu criei tem este aspecto:



 Com a ementa semanal:

  • Faço as compras de supermercado para a semana com todos os ingredientes que vou precisar.
  • Não perco tempo em idas de emergência ao supermercado por faltar qualquer coisa para a refeição que estou a preparar.
  • Deixei de me preocupar com a refeição que vou preparar a seguir.
  • Nunca me esqueço de descongelar peixe ou carne porque, assim que tomo o pequeno-almoço, vejo quais são as refeições do dia e retiro logo tudo o que preciso do congelador.


segunda-feira, 31 de Março de 2014

Tabela de Desafios de Abril

Hoje trago a tabela dos desafios de organização que criei para o mês de Abril. Esta é a que faz mais sentido para mim, mas poderá não ser a melhor para ti! Vê que divisões da casa precisam de uma arrumação mais urgente e foca-te nas várias categorias de objectos que determinada divisão tem.

Por exemplo, se for um quarto de dormir, poderás organizar primeiro as roupas por categorias e separar aquilo que for para doar, vender ou deitar fora:
  • roupa interior
  • meias
  • collants
  • camisolas
  • lenços
  • roupa de cama

Depois foca-te nos livros e/ou outras coisas que tenhas na cómoda e mesinhas de cabeceira, etc. Por fim, define os espaços de arrumação para cada categoria de artigos.


Mas, atenção! Não caias no erro de definir objectivos demasiado ambiciosos ou pouco concretos. Por exemplo, no mês passado, coloquei na minha tabela os objectivos: "Arrumar Livros" e "Destralhar Sapatos" com os números romanos I e II (porque sabia que seria impossível cumpri-los em um dia apenas). No entanto, foram os que deixei por fazer porque, quando os li, pensei na quantidade de artigos para destralhar e organizar e fiquei sem saber por onde começar. Se tivesse definido os “sub” objectivos:

  • Separar o calçado com saltos;
  • Separar as botas;
  • Separar botins;
  • Separar calçado de Verão;
  • Separar calçado para doar;
  • Limpar o calçado;
  • Criar espaços de arrumação para cada categoria.

Provavelmente, já teria o objectivo principal, “Destralhar Sapatos”, cumprido! Por isso já sabes, se um objectivo te parecer demasiado ambicioso, subdivide-o em objectivos mais simples para tornar o desafio mais fácil.


Deixo então aqui a minha tabela de Abril, espero que te possa servir de inspiração!

quinta-feira, 27 de Março de 2014

Tabela de Desafios para a Organização da Casa

Nos últimos posts tenho falado das novidades de organização cá de casa, nomeadamente a implementação da tabela de tarefas diárias e a lista dos zero desperdícios na cozinha.

No fim do ano de 2013, criei uma rubrica aqui no blogue intitulada “Desafio da Semana”. O desafio semanal consistia numa tarefa de limpeza e/ou organização da casa, cujo objectivo principal seria vencer a procrastinação. Eu segui esses mesmos desafios sugeridos e acabei por concluir que é um bom incentivo para quem tem a casa organizada e apenas precisa mantê-la assim. No entanto, para quem sente que a casa está caótica e precisa de uma verdadeira remodelação ou para quem muda de casa, um desafio semanal não é suficiente.

Pela necessidade de tornar a casa organizada o mais rapidamente possível, surgiu-me a ideia de criar uma tabela muito mais abrangente e com uma frequência diária. E é isso que quero mostrar-te hoje!


Fevereiro foi o primeiro mês em que criei a tabela de desafios e resultou bastante bem, pelo que construí, imediatamente, a de Março. Como este mês está praticamente a acabar, é uma óptima altura para criares a tua tabela de Abril, caso queiras experimentar e ver se resulta contigo!

A minha principal inspiração para criar as tabelas de desafios foi o site Home Storage Solutions 101. Nesse site podes encontrar algumas tabelas com desafios pré-definidos, que funcionam como uma óptima base e construir, a partir daí, uma tabela que se adeque mais ao teu caso. As tabelas da HSS têm um tema mensal como, por exemplo, uma divisão da casa por mês mas tu poderás fazê-las de outra forma. Eu, por exemplo, construo-as de acordo com prioridades de organização.

Traduzi a lista dos desafios do mês de Janeiro do site Home Storage Solution 101 para te dar um exemplo prático:

  • Dia 1: Criar um espaço em casa para os objectos destralhados que se pretendem doar ou vender.
  • Dia 2: Criar um dossier da casa.
  • Dia 3: Criar uma lista de afazeres diários que realmente resulte.
  • Dia 4: Destralhar cartões de Natal antigos.
  • Dia 5: Destralhar utensílios de cozinha.
  • Dia 6: Desafio Semanal - Destralhar as superfícies da cozinha.
  • Dia 7: Destralhar pequenos aparelhos da cozinha que não são utilizados.
  • Dia 8: Limpar e destralhar as superfícies da cozinha.
  • Dia 9: Destralhar a mesa da cozinha.
  • Dia 10: Destralhar panos de cozinha, guardanapos e bases.
  • Dia 11: Destralhar garrafas e outros recipientes de plástico.
  • Dia 12: Destralhar sacos de plástico, papel de alumínio, película aderente, etc.
  • Dia 13: Desafio Semanal - Destralhar armários da cozinha.
  • Dia 14: Destralhar as prateleiras e gavetas da cozinha.
  • Dia 15: Destralhar a gaveta de tralha da cozinha.
  • Dia 16: Destralhar o espaço debaixo do lava-loiças.
  • Dia 17: Destralhar frascos de armazenamento de comida.
  • Dia 18: Limpar o pó e retirar tudo de cima do topo dos armários da cozinha.
  • Dia 19: Destralhar e combinar todos os tachos e panelas com as suas tampas.
  • Dia 20: Desafio Semanal - Despensa e Especiarias.
  • Dia 21: Destralhar utensílios para o forno.
  • Dia 22: Destralhar comida enlatada (deitar fora a que está fora de validade e doar aquela que não se vai utilizar).
  • Dia 23: Deitar fora especiarias muito antigas ou fora de validade. Organizar as especiarias.
  • Dia 24: Destralhar as prateleiras da despensa.
  • Dia 25: Continuar a destralhar as prateleiras da despensa.
  • Dia 26: Criar um inventário da despensa.
  • Dia 27: Desafio Semanal - Frigorífico e Congelador.
  • Dia 28: Deitar fora a comida estragada e embalagens abertas há muito tempo, que se encontrem no frigorífico.
  • Dia 29: Limpar as prateleiras e gavetas do frigorífico.
  • Dia 30: Limpar a porta e topo do frigorífico.
  • Dia 31: Deitar fora a comida estragada e embalagens abertas há muito tempo, que se encontrem no congelador.


A negrito encontram-se aquelas que eu pus em prática. As restantes não se aplicam ou não fazem sentido para mim. Quando mudei de casa e fiz as compras básicas, como a loiça, talheres, tachos, etc. comprei o mínimo possível e, por isso, não tenho coisas para destralhar na cozinha, apenas vou organizando por categoria e validade, no caso dos produtos alimentares.
Portanto, de uma lista de 31 tarefas, aproveitei apenas 10 pelo que fui pesquisando nos meses seguintes outras tarefas que fizessem sentido para mim e construí a tabela de Fevereiro com este aspecto:


Quando fiz a tabela não me preocupei com uma sequência lógica de tarefas, ordenei-as consoante o tempo que cada uma ocupava e o tempo que tinha disponível nesse dia. Cumpri praticamente todas as tarefas de Fevereiro, as que ficaram por cumprir, desloquei-as para a tabela de Março.

Experimenta e conta-me como correu!

sexta-feira, 21 de Março de 2014

Zero Desperdícios na Cozinha

Há cerca de quatro meses, comecei a dedicar-me à culinária e desde então tenho visto muitos programas temáticos e experimentado algumas receitas novas, especialmente cozinha vegetariana.

Para além disso, agora com o Yoshi cá em casa, tento não estar ausente muitas horas de seguida, pelo que almoço em casa todos os dias. Cozinhar tantas refeições é um verdadeiro desafio! Gosto de variar os pratos que faço mas não posso gastar muito tempo na cozinha e, mais importante que tudo, odeio desperdiçar comida.


Apesar de sempre ter tido cuidado para evitar os desperdícios alimentares, todas as semanas deitava fora uns restos que se tinham estragado. O frigorífico nunca esteve cheio ou desorganizado mas mesmo assim escapava sempre qualquer coisa. 

Para evitar os desperdícios alimentares por completo, a solução que, cá em casa funcionou, foi criar uma lista diária das coisas que ia colocando no frigorífico:




Assim, quando preparo a refeição seguinte, escolho a receita de acordo com os ingredientes que estão na lista, evitando que passem de validade. Sempre que termino um, risco-o da lista. 

Fácil, certo?

quinta-feira, 20 de Março de 2014

Delegar com a Tabela de Tarefas

Uma das coisas que penso ser muito importante para ter a casa organizada e poupar tempo é delegar tarefas.

Quando me mudei cá para casa comecei por tentar fazer tudo sozinha, mas era muito difícil conseguir ter tudo arrumado e andava sempre muito cansada. Depois, comecei por pedir ajuda ao meu namorado em algumas tarefas, o que tornou tudo mais fácil. No entanto, não gostava de estar sempre a pedir ajuda ou a relembrá-lo de alguma tarefa que ainda estava por fazer.


Vi, entretanto, em alguns blogs de organização, a sugestão de criar uma tabela com tarefas e ir colocando o nome da pessoa que a iria desempenhar nesse dia. Pareceu-me uma óptima ideia! Desta forma, o meu namorado poderia consultar a tabela no início do dia e ir fazendo as tarefas consoante lhe desse mais jeito.


Comecei, então, por fazer uma tabela com uma pequena lista de tarefas diárias:

  • Lavar a Loiça
  • Passar a Ferro
  • Lavar o Chão da Cozinha
  • Lavar o Chão das Casas-de-banho
  • Limpar o Pó


Em frente à tarefa, colocava a lápis o meu nome ou o do meu namorado. Na manhã seguinte, verificava o que era necessário ser feito, apagava os nomes das tarefas do dia anterior e preenchia as tarefas do dia. No entanto, o papel começou a ficar muito gasto mas também não queria imprimir a folha com regularidade para não desperdiçar papel! Quando o meu irmão veio cá almoçar, questionou-me sobre a tabela e eu contei-lhe no que consistia. Deu-me a ideia de criar pequenos papéis com as nossas iniciais, que eu podia ir colando e descolando com um pouco de massa adesiva.

A tabela também tem aumentado, sempre que me lembro de uma tarefa importante que ainda não consta lá, vou adicionando a lápis para incluir numa próxima impressão. Neste momento, encontra-se com este aspecto:



E em tua casa, fazes tudo sozinha ou todos partilham tarefas? Como se organizam?

terça-feira, 18 de Março de 2014

Os hábitos que ganhei com o Yoshi

A vinda do Yoshi cá para casa alterou alguns dos meus hábitos.


Viver com um cão é uma experiência brutal mas, claro, acarreta algumas responsabilidades. É necessário criar um horário de refeições para ele (um cachorro deve comer 3 a 4 vezes por dia, sempre à mesma hora), um horário de sono, brincar com ele, educá-lo e limpar os xixis e as “cacas” que, por vezes, surgem nos sítios indevidos. É preciso dedicar parte do nosso tempo ao nosso melhor amigo!


Uma coisa que achei muito interessante foi precisamente o tempo que dedico, por dia, ao meu cachorro. Antes de adoptá-lo, queixava-me muito...parecia que nunca havia tempo para nada. Mas, de alguma forma, consegui arranjar tempo para todas as responsabilidades associadas ao Yoshi e para muitos passeios, visitas aos amigos e família (é muito importante o cachorro conhecer o máximo de cães e pessoas nos primeiros tempos para não tornar-se antissocial) e, ainda, para muita brincadeira.


Agora, as manhãs começam sempre às 6H30, seja dia de semana ou fim-de-semana. Claro que nos primeiros dias ressenti a mudança de horário mas agora, mesmo quando o Yoshi acorda meia hora mais tarde, o meu relógio biológico matina sempre à mesma hora. O dia parece muito mais longo e, quando não tenho aulas de manhã, por volta das 9H já me arranjei, já tomei banho, já dei um passeio de 30-50 minutos na rua a passo largo e já arrumei grande parte da casa. Antes, principalmente nos dias mais frios, ficava na ronha e não me levantava muito cedo… Sempre quis fazê-lo e fui conseguindo durante umas semanas mas nunca tinha tido auto-disciplina para conseguir criar esse hábito. Com o Yoshi, as prioridades mudaram e consegui, finalmente, criar este novo hábito num instante!


A limpeza e organização da casa também se ressentiram um pouco nas primeiras semanas. Não consegui logo conciliar o estudo, com a casa e com o Yoshi e, destes três, claro que foi a casa que pus em último plano. Percebi que tinha de criar uma estratégia para manter a casa limpa e para continuar a arrumar as coisas que ainda estão nos caixotes das mudanças, procurei inspiração pela net e acabei por encontrar o que é agora a minha solução: tenho uma tabela de tarefas que delego para mim e para o meu namorado e tenho ainda uma tabela com um desafio diário!

Exercício... outro tópico que daria muito que falar. Muitas vezes a desculpa que arranjo é também a falta de tempo ou o cansaço mas agora, dou, pelo menos, um passeio de 30 minutos na rua por dia, a passo bem rápido!

O que falta mesmo é ter auto-disciplina, ir criando os hábitos que sei que preciso por mim e não por outra razão. Sempre foi fácil sair da cama se tinha aulas, se tinha qualquer coisa combinada com alguém. Por mim, raramente o fiz. Por que razão será tão fácil criar hábitos pelos outros mas por mim própria não...?

quarta-feira, 12 de Março de 2014

Yoshi

Provavelmente o meu maior sonho de criança sempre foi ter um cão. Fui brincando com os cães das minhas amigas e pedindo aos meus pais que me oferecessem um pelos anos ou pelo Natal. A minha mãe sempre teve medo de cães e o meu pai sempre disse que um cão em casa não seria feliz, iria precisar de muito espaço para correr e brincar pelo que a resposta ao meu pedido foi sempre um Não. Talvez os meus pais pensassem que, com o tempo, eu desistiria da ideia mas a verdade é que fui sempre tentando até aos meus 21/22 anos de idade! Depois de mais um Não decidi adiar o meu sonho, em minha casa teria o meu cão.

Pouco tempo depois de ter saído da casa dos meus pais, dei comigo a ver cada vez mais fotos de cães à procura de dono. Fui vendo, fui reflectindo e assim que chegaram as férias do 1º semestre não esperei mais, fui à procura do meu animal de estimação. 
Pedi contactos à União Zoófila e comecei por visitar a Fundação São Francisco de Assis em Cascais. 
Fui sem ver previamente qualquer foto do local ou de algum cão que lá tivessem. Nesse dia, tinham acabado de colocar chips de identificação numa ninhada de cinco cachorros. Visitei todos os cães que lá tinham e os gatos também. Vi de longe os cachorros, todos aconchegados no calor das mantas a dormir.

No dia seguinte voltei lá. Os cachorros já estavam prontos para ser adoptados e dos cinco só a fêmea estava reservada. Desta vez pude vê-los de mais perto e encontrei o meu cão. Sempre soube que seria assim, de pêlo curto e escuro. Mesmo assim peguei neles todos, não sei se estaria à procura de algum tipo de ligação especial… Claro que pegar em qualquer um deles foi sempre uma sensação única! Mas o tal, o de pêlo curto e escurinho, parecia amedrontado. Foi o único que, assim que peguei ao colo, se escondeu debaixo do meu casaco. Todos os outros quando acordaram foram comer e brincar, o meu parecia muito triste. Peguei nele e nem pensei mais. Saí dali com a certeza que aquele seria, para sempre, o meu protegido.

Yoshi com 2 meses e meio

Ontem, o Yoshi fez 1 mês cá em casa. O cachorro que parecia ser o mais tímido, o mais medricas e molengão, é hoje um cachorro de 2 meses e meio, brincalhão e com uma energia inesgotável! Só pára mesmo para dormir ou descansar um pouco ao sol!

Entretanto, todos os outros cachorros da mesma ninhada foram adoptados, assim como alguns dos cães adolescentes e adultos que tinham no albergue. Adorei o pessoal da Fundação São Francisco de Assis e a veterinária Dr. Ana. 

Para quem deseje adoptar um animal, cão ou gato, aconselho vivamente este local!

segunda-feira, 3 de Fevereiro de 2014

3 Razões para teres o teu Frasco da Gratidão

[Copyright: Sara Duarte]

Lembram-se do desafio “Frasco da Gratidão”? Há uma semana atrás abri, finalmente, todos os papelinhos que tinha no meu frasco de 2013!

Sabem aquelas coisas que estamos constantemente a adiar? O Frasco da Gratidão é uma óptima ferramenta para deixarmos de ser um mero espectador das nossas vidas e passarmos a ter o papel principal, um papel activo. Qualquer que seja o objectivo que tenhamos adiado por falta de incentivo, cumprir os nossos desafios diários e escrever apenas umas frases sobre isso dá uma motivação extra para continuar, torna-se até viciante!
E objectivo pode ser de qualquer tipo: aprender uma língua, correr uma maratona, parar de fumar, perder peso, tirar um curso, escrever um livro, reservar mais tempo para passar com os amigos e família, aprender a cozinhar, viajar, aprender a tocar um instrumento, etc.


À medida que eu ia abrindo os papelinhos, fui redescobrindo imensos momentos e imensas coisas que me fazem sorrir. Fiquei grata por:

> ter organizado o almoço anual de família com outros primos (este almoço inclui todas as famílias dos descendentes da minha bisavó, mãe do meu avô materno!).

> ter feito novos amigos e ter reencontrado antigos.

> ter tido boas notas quando pensava que não estava preparada para tal. E ter ido a essas datas de avaliação (geralmente só ia quando tinha mesmo a certeza que teria boa nota, tem sido um verdadeiro desafio quebrar essa mania).

> conseguir almoçar em restaurantes cheios e com imenso barulho (para tal, é preciso ir e não deixar que a ansiedade me prenda em casa!).

> o meu namorado continuar a surpreender-me passados 4 anos.

> ter comprado mobília para a nova casa e ter tido a ajuda do meu pai e do meu namorado para montá-la.

> poder comprar 3 livros num só dia.

> ter conseguido ficar na fila do Continente sozinha numa tarde caótica no hipermercado (a ideia de ir para um sítio cheio de gente há uns anos atrás era suficiente para me deixar agoniada e trancada em casa)

> ser finalista.

> namorar o homem que eu amo.

> ter atravessado a Ponte 25 de Abril várias vezes (era uma das minhas maiores fobias).


Mas para ter motivos que me deixem grata é preciso trabalhar para eles! É preciso passar da teoria à prática! Para atravessar a ponte 25 de Abril tive de conduzir muitas vezes sobre outras. Para namorar o homem que eu amo, é preciso investir na relação. Para ser finalista e/ou ter boas notas é preciso trabalhar para isso. Para conseguir estar numa fila de supermercado sozinha, tive de aprender a lidar com a ansiedade quando estou sozinha, mesmo em sítios mais calmos, and so on!


Resumindo, consigo pensar imediatamente em 3 razões para manter este hábito e para tu aderires também:
  • Faz-nos olhar para o lado positivo das coisas.
  • Dá-nos motivação e força para continuarmos a lutar pelos nossos objectivos.
  • Faz-nos acreditar, mesmo quando estamos mais descrentes.

Eu já comecei a encher o meu Frasco da Gratidão de 2014!
Não queres aderir também a este desafio?

quinta-feira, 9 de Janeiro de 2014

Aprender a Viver



Olá! Este é o primeiro post do ano 2014 e tenho muitas coisas para contar!

Os dois últimos meses de 2013 foram uma loucura. O trabalho acumulou-se em casa e na faculdade, estive uma semana de cama por causa de uma intoxicação alimentar e isso só veio piorar a situação. No entanto, essa semana de paragem teve algo de positivo. Parei, olhei para trás e percebi que a intoxicação alimentar tinha sido apenas um sinal de que, se continuasse no mesmo ritmo, esse seria o menor dos meus problemas.

Desde que o ano lectivo começou tenho feito um esforço enorme para terminar a licenciatura e concluir o 1º ano de mestrado, pus de lado todas as coisas que gosto de fazer, pus de lado tudo o que ocupava um pouco do meu tempo, além de ir às aulas, preparar apresentações e dormir. Saltei muitas refeições – quase desmaiei numa consulta no final do dia porque nem me tinha apercebido que não comia desde o pequeno-almoço – e comi muitas outras vezes a correr. Não saí de casa uma única vez para estar com amigos, nem saí de casa uma única vez para estar apenas noutro local que não fosse a casa, o supermercado ou a faculdade. A ansiedade tomou conta de mim outra vez, tive alguns ataques de pânico e momentos em que só queria ficar deitada na cama para sempre. Vivi, ou sobrevivi, sob a forma de zombie e fiz tudo de forma automática. E, o que me pareceu inicialmente um grande problema, parar durante uma semana com tanto para fazer, foi talvez a minha salvação. Prometi a mim mesma que nunca mais deixaria que as coisas chegassem de novo àquele ponto. Percebi que passo a vida preocupada com as pessoas à minha volta e que sou negligente comigo própria. Por que razão será tão difícil cuidar de nós próprios?

A primeira vez que a ansiedade me aprisionou em casa, a prática regular de yoga foi uma das coisas que me ajudou a controlar os níveis de ansiedade. Quando a minha vida ficou mais equilibrada, pus a yoga e a meditação de parte porque precisava de mais tempo. E, aos poucos, fui sempre fazendo isso: deixei de fazer actividades que gosto (cozinhar, pintar, escrever, etc.) porque precisava de mais tempo, deixei de tratar de mim porque precisava de mais tempo, saltava refeições porque precisava de mais tempo, reduzi as horas de sono porque precisava de mais tempo…

Mas a verdade é que todo o tempo extra que vamos conseguindo arranjar não serve de nada, se não estivermos saudáveis, se não estivermos presentes.

Com a chegada do Natal e do ano novo, quase caí na tentação de esperar mais um pouco para fazer uma lista de resoluções mas as mudanças têm de ser feitas assim que nos apercebemos que algo vai mal. Eu não queria esperar pelo ano novo, não queria arranjar mais desculpas mas também não sabia bem por onde começar… Então pensei nas coisas que me retiram energia no dia-a-dia e nas coisas me dão alegria e que deixei de fazer.

Aos poucos, durante o mês de Dezembro, (re)comecei novas rotinas:
  • Pratico yoga todos os dias através de umas aulas gratuitas da Erin Motz e vou alternando com exercícios de força e aeróbica. 
  • Cozinho todos os dias e tenho feito algumas receitas novas. Tenho optado por uma alimentação mais saudável e, claro, já não salto refeições! 
  • Tenho estado com os meus amigos, aqueles que conhecemos ao longo da nossa vida e que vão ficando para sempre. Aqueles que, ao rever, precisamos muito de abraçar e um abraço não chega. 
  • Tenho continuado a arrumar a casa e a decorá-la. Sendo uma pessoal muito visual, todo a desarrumação que se vai acumulando à minha volta, retira-me imensa energia e tento sempre tornar a minha casa num sítio onde posso relaxar. 
  • Ignoro conversas, situações e pessoas que me desestabilizam. Esta foi talvez uma das decisões mais difíceis de tomar e pôr em prática porque, muitas vezes, até são pessoas próximas de nós que nos fazem mal, talvez até sem terem consciência disso. Mas é importante saber afastarmos-nos e não deixarmos ser afectados por estas situações.

Estas foram as minhas (pré) resoluções do ano de 2014. E tudo se resume a um só objectivo: tornar-me mais saudável.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...