quinta-feira, 26 de Junho de 2014

Dica: Limpar o Ferro de Engomar

Há uns tempos atrás, passei a ferro uns boxers de lycra pretos sem reparar que tinha o ferro na temperatura máxima e queimei o tecido. A superfície inox do ferro também não se salvou e ficou com uma mancha negra que, por vezes, chegava a sujar roupa enquanto a passava a ferro. Imaginem a minha cara quando me apercebia que a roupa tinha de voltar para a máquina de lavar...

[Copyright: Sara Duarte]


Experimentei tudo para limpar o ferro: água e vinagre, detergente da loiça, misturas com bicarbonato de sódio, uma mola de roupa (aquece-se a mola no local que se pretende limpar e deixa-se derreter, depois retira-se a sujidade com um palito - só que a mancha no ferro era tão grande que não compensava o tempo que iria gastar...), tentei todas as dicas que fui encontrando e nada resultou... Ontem já estava preparada para ir reciclar o ferro e comprar um novo quando, numa última pesquisa, encontrei a solução!



[Copyright: Sara Duarte]

Limpar o Ferro de Engomar em 3 passos:
(Muito importante: o passo 2 do processo de limpeza do ferro desgasta a superfície inox do ferro, pelo que só deve ser usada quando mais nada resulta!)

1 - Colocar pasta de dentes branca sobre a superfície do ferro e esfregar com um pano de algodão húmido. Secar com outro pano e passar a ferro, durante 5 minutos, um pano velho. Se a sujidade do ferro apenas ocupar uma pequena área, este poderá ser o único passo necessário à sua limpeza. Caso contrário...

2 - Colocar sal marinho (quanto maior for o grão, melhor) sobre um pano de algodão velho. Ligar o ferro na temperatura máxima e passar o ferro várias vezes sobre o sal - cuidado: o sal vai saltando e pode queimar! O meu ferro ficou praticamente limpo neste passo. Como faltava apenas uma região minúscula, voltei a tentar o passo 1 e consegui limpá-lo por completo.

3 - Após o ferro ficar frio, passar um pouco de azeite ou óleo na sua superfície para dar brilho ao inox - eu utilizei óleo de bebé, o mesmo que uso para limpar o fogão.

Claro que depois fui testar o ferro! Queria ter a certeza que a superfície anteriormente queimada, não voltava a ficar manchada, nem manchava a roupa. Não é que resultou mesmo??? :)


quarta-feira, 25 de Junho de 2014

Água Morna com Limão

No ano passado, encontrava em todo o lado referências à dieta do limão. Depois de ler um artigo, sobre esta dieta, onde era prometida a perda de 12 quilos em 30 dias, e cujo plano consistia em beber sumo de limão puro em jejum, era óbvio que se tratava de mais uma dieta louca que surge pela altura do Verão. Desde aí, não perdi mais tempo a ler artigos onde o limão tinha um papel principal.

Mais tarde, começaram a surgir muitos artigos sobre a toma de água morna com limão em jejum. Devia ser mais um disparate! Mas, entretanto, comecei a encontrar esse mesmo tema em sites relacionados com vida saudável e yoga, pelo que decidi ler mais sobre o assunto...

Beber água morna com limão em jejum é uma prática ayurvédica. Este ritual promove a limpeza das toxinas que se acumulam no organismo, estimula a digestão e a absorção dos nutrientes, ajudando também a equilibrar o trânsito intestinal. Destes, o efeito que mais notei desde que comecei a tomar água morna com limão pela manhã foi a regulação do trânsito intestinal. Sempre tive alguma tendência para a obstipação, provavelmente devido ao glúten que está presente em tantos alimentos do dia-a-dia, mas desde que comecei a beber a água morna com limão em jejum, o problema foi ultrapassado! Para além disso, quando como alguma coisa com glúten (bastam apenas umas bolachas) fico com a digestão muito lenta e com a sensação de estômago pesado e, aqui, a água morna com limão também tem ajudado imenso.

Diz-se que beber água morna com limão em jejum tem muitas outras vantagens como o fortalecimento do sistema imunitário, a detoxificação do fígado, auxílio na perda de peso, efeito diurético e que torna o organismo mais alcalino (assunto controverso mas podem ver, num artigo de 2011, os benefícios de uma dieta alcalina na secção Conclusion).


Li que o ideal seria tomar uma chávena de água morna com sumo de meio limão mas, quando experimentei, senti que era muito agressivo para o meu estômago. Fui aumentando então a quantidade de gotas de sumo de limão até encontrar uma diluição que gostasse. Comecei com 10 gotas, depois 15 e, agora, corto uma rodela fina de limão, faço basicamente um carioca, assim que acordo.

[Copyright: Sara Duarte]

Água Morna com Limão
  • Água
  • Meio limão
  • mel (opcional)
  • canela (opcional)
  • gengibre ralado na hora (opcional)
  • sal dos himalaias ou sal gema (opcional)

Há quem goste de adicionar à água morna com limão um pouco de mel, canela, gengibre ou sal. Eu tenho preferido simples mas hei-de experimentar com canela e gengibre também :)

quarta-feira, 18 de Junho de 2014

Sorteio: Boonzi – Software de Gestão de Finanças Pessoais

Há cerca de um mês comecei a utilizar o software Boonzi, a convite da startup portuguesa que criou esta plataforma. Foi-me apresentado como sendo um software nacional (yey!), que permite controlar o orçamento familiar e poupar dinheiro, de forma muito fácil. Como sabem, dou grande importância à gestão do dinheiro pelo que a proposta era irrecusável! Fui imediatamente pesquisar o Boonzi na internet e descobri que desde que foi criado, em 2013, foi descarregado por 18 mil pessoas ao longo do primeiro ano! Para além disso, possui a aplicação para Android está muito bem avaliada: possui 4,3 em 5,0 estrelas possíveis! Após um mês de experimentação, posso afirmar que o Boonzi é de facto um software muito fácil de utilizar! Como sabem, eu anotava as minhas finanças numa folha de excel mas acabei por desistir pelo trabalho que dava registar todas as minhas despesas e receitas… Mas o Boonzi tem a grande vantagem de permitir importar os movimentos directamente de todos os bancos nacionais onde se possui conta, nunca sendo necessário introduzir qualquer dado bancário, já que a importação é feita com um simples movimento de "copy & paste"!

[Boonzi]

Após a importação dos movimentos do extracto bancário, o Boonzi auto-preenche as categorias (restauração, combustível, vestuário, supermercado, farmácia, etc.) e entidades mais comuns do país pré-definido (Portugal, Reino Unido ou Estados Unidos) classificando, automaticamente, cada despesa.


[Boonzi]



Para além disso, ainda cria um relatório detalhado, organizado por categoria, entidade, fluxo de caixa e evolução do saldo. Tal permite perceber, por exemplo, quanto se gasta em cada categoria e criar, a partir dessa análise, um limite no orçamento, mensal e anual, para a categoria respectiva. 

[Boonzi]

[Boonzi]

Uma dúvida que me surgiu durante a utilização do Boonzi foi relativamente aos gastos feitos sob a forma de numerário. Os cafés tomados, o supermercado que não deixa pagar com cartão, a revista, como iria controlar essas despesas? A boa notícia é que estes gastos podem ser adicionados, manualmente, no Boonzi e, se instalarem a aplicação no telemóvel, podem registar a compra no momento! No entanto, o meu telemóvel não é compatível com a aplicação mas, como faço poucas compras, registo-as em casa. Para não me esquecer de adicionar qualquer compra, guardo todos os talões.


Em suma, os pontos positivos e negativos que achei mais relevantes após experimentar, durante 1 mês, este produto, foram…

Pontos positivos:
- utilização fácil, segura e intuitiva.
- rápida importação dos movimentos a partir do extracto bancário.
- permite inserir os gastos feitos por numerário.
- permite a calendarização de, por exemplo, despesas futuras ou fixas.
- realização automática de um relatório pormenorizado .
- possibilidade de definir limites no orçamento mensal e anual por categoria.
- apresentação gráfica apelativa, com um aspecto clean.

Pontos negativos:
- não consegui instalar a aplicação Boonzi no meu telemóvel. Depois de alguma pesquisa, descobri que esta aplicação, de momento, só é compatível com os sistemas iOS 6 e 7 e Android 4.0, 4.1, 4.2, 4.3 e 4.4

Por fim, a melhor notícia! O blogue My Cinnamon Heart e a startup responsável pela criação do Boonzi criaram uma parceria e, juntas, vamos oferecer uma licença vitalícia!

Para se habilitarem à licença vitalícia do Boonzi só terão de:
  1. Fazer gosto na página de Facebook do Boonzi.
  2. Partilhar este sorteio no Facebook.
  3. Preencher o formulário que se encontra abaixo (é permitida apenas uma participação por endereço de e-mail; participações duplicadas não serão tidas em conta).


O formulário poderá ser preenchido até ao dia 18 de Julho e o vencedor será escolhido, aleatoriamente, através do Random.org, no dia 21 de Julho.


Queres experimentar o Boonzi gratuitamente? Descarrega a demo e testa o Boonzi durante 30 dias! 

Boa sorte e boas poupanças!!! :)

sexta-feira, 13 de Junho de 2014

Produto de Beleza Natural: Desodorizante de Coco

Há muito tempo que torcia o nariz ao desodorizante... Há uns anos atrás ouvi dizer que se devem evitar os desodorizantes anti-transpirantes por estarem associados a cancro de mama devido à acumulação de alumínio nesses tecidos. Nunca cheguei a perceber se existia fundamento nisso porque tanto leio que sim, como que não... De qualquer forma, a partir daí, passei a evitar os desodorizantes anti-transpirantes. O problema foi encontrar um desodorizante que gostasse. Estraguei algumas roupas porque ficavam com manchas, houve desodorizantes que parecia deixar-me a cheirar pior do que quando não utilizo nenhum, outros causaram-me alergias, enfim, nunca foi um assunto fácil!

Nos dias frios, deixei de utilizar desodorizante e não sentia qualquer odor mas, no Verão, não quero intoxicar ninguém! Procurei por receitas de desodorizantes feitos à base de produtos naturais e encontrei este, no blogue da Lindsay, que se pode fazer em casa, com poucos ingredientes e em pouco tempo!

Hoje experimentei, finalmente, a receita e, até agora, não me cheira nada mal. Pelo contrário, adoro o aroma de coco que este desodorizante tem!

Desodorizante de coco

32g de amido de milho
32g de bicarbonato de sódio
5 colheres de sopa de óleo de coco biológico

E é mesmo fácil e rápido de fazer, basta juntar os ingredientes secos numa tigela, misturar e juntar o óleo de coco. Por fim, misturar uma última vez até se obter um creme homogéneo. Como a minha casa fica bastante quente, o óleo de coco estava líquido, pelo que foi fácil misturar tudo; se o teu se encontrar sólido, aquece-o um pouco antes de juntá-lo aos restantes ingredientes.

Se não gostas do cheiro a coco, podes ainda adicionar umas gotas de um óleo essencial que possua um aroma mais agradável para ti!

Quanto aos ingredientes, o amido de milho e o bicarbonato de sódio encontram-se facilmente num supermercado; o óleo de coco biológico, comprei-o no Celeiro.

Agora só falta o teste final: usar este desodorizante num dia que vá correr!

quarta-feira, 11 de Junho de 2014

Sumo Verde de Ananás e Maçã

Ontem, antes de me deitar, dediquei-me à leitura de um artigo sobre sumos detox que saiu há uns tempos na revista Sábado. Já tinha experimentado algumas variedades nuns workshops da última Feira Alternativa em Lisboa mas, sinceramente, não gostei de nenhum... Achei o sabor sempre muito "agressivo".

Ao ler o artigo, as vantagens de beber estes sumos eram óbvias mas as más experiências que tive mantinham-me um pouco céptica... No entanto, hoje de manhã, decidi dar uma nova oportunidade! Com a revista Sábado vieram 30 receitas de sumos detox, eu inspirei-me nelas e fiz o meu próprio sumo, usando ingredientes que à partida indicavam que a experiência, desta vez, iria ser bem sucedida. O artigo também traz as regras para criar um sumo detox:
  • Folhas verde-escuras (espinafres, agrião, couve, rúcula, acelga): até 2 tipos
  • Ervas (salsa, coentros, hortelã, erva-doce): 1 tipo
  • Legumes (pepino, agrião, alface): até 2 tipos
  • Raízes (gengibre, cenoura, beterraba): 1 tipo
  • Algas (spirulina, clorela): 1 tipo
  • Sementes (linhaça, chia, girassol, cânhamo): 1 tipo
  • Fruta (limão, laranja, banana, abacaxi, morangos): até 2 tipos

Eu fiz vista grossa (o objectivo também não era fazer um sumo detox, apenas um sumo saudável para começar a manhã da melhor forma possível!) e, para o meu sumo, escolhi...


Sumo Verde de Ananás, Maçã, Agrião e Limão:
  • 1 fatia grossa de ananás
  • 1 maça
  • sumo de 1/4 limão
  • um pequeno ramo de agrião
  • água, até atingir consistência/diluição desejada
 
[Copyright: Sara Duarte]

Adorei o sabor e a textura, a maçã e o ananás deram-lhe uma textura aveludada (juntei pouca água para não diluir muito e conseguir obter esta textura) e o sumo ficou mais doce do que esperava. O agrião cru é um pouco picante mas o açúcar da maçã sobrepôs-se a isso.

Os ingredientes deste sumo tornam-no rico em vitamina A, vitaminas do complexo B e vitamina C, ferro, potássio, fósforo e cálcio. E, mais uma vez, utilizei a liquificadora e não filtrei o sumo para não perder a fibra das frutas e do agrião. O sumo deve ser bebido assim que é feito para não perder os seus nutrientes e as suas propriedades antioxidantes.


Haverá melhor maneira de começar o dia?

segunda-feira, 9 de Junho de 2014

Sumo de Laranja, Cenoura e Gengibre (... e Beterraba)

O bom tempo regressou! Tenho começado as minhas manhãs com um shot de vitaminas, seja em forma de sumo, de batido ou iogurte com frutas e cereais (sem glúten). Sempre que almoço num restaurante vegetariano peço, para beber, um sumo natural de frutas ou uma infusão e sabe-me sempre tão bem que comecei a implementar o hábito também cá em casa.

Hoje, comecei o dia com um sumo de cenoura, laranja e gengibre, fico logo saciada!

[Copyright: Sara Duarte]

As laranjas são da quinta e por isso sem quaisquer químicos adicionados, a fruta poderá não parecer tão bonita mas o seu sabor mmmmmm.... Parece que foi colhida no momento!

Este é um sumo cheio de vitaminas, a laranja é rica em vitamina C e a cenoura nas vitaminas A, B2, B3 e C. Tem também imensos minerais,  cálcio e potássio da laranja e da cenoura, magnésio da laranja e fósforo e sódio da cenoura. Por fim, o gengibre acentua o poder antioxidante ao sumo, que a laranja já conferia também.

Sumo de Laranja, Cenoura e Gengibre
  • 2 Cenouras
  • 4 Laranjas pequenas
  • Gengibre ralado no momento (tamanho de uma ervilha)
  • Água (perfazer até obter consistência/diluição desejada).

Para não perder as fibras da cenouras e das laranjas, preparo o sumo na liquificadora, sem retirar as partes brancas das laranjas e sem filtrar o sumo. O açúcar da cenoura costuma cortar a acidez das laranjas mas quando são mesmo ácidas, junto um pouco de beterraba e resulta sempre ;)

Copyright: Sara Duarte

sábado, 7 de Junho de 2014

Um estilo de vida saudável, natural...

Os passeios que tenho dado com o Yoshi têm tido algum impacto no meu dia-a-dia... 

Passar mais tempo em contacto com a natureza tem-me feito recordar as férias que passava na quinta dos meus avós quando era miúda. Eram as minhas férias preferidas! Podia andar na "rua" o tempo que quisesse, comia fruta apanhada directamente da árvore e, sentada num muro com os meus primos, partia a casca de muitas amêndoas com pedras que encontrávamos pela terra. Perto da casa, o meu avô pôs três baloiços e lembro-me que tentava dar balanço até conseguir tocar com a ponta do pé numa folha da árvore mais próxima. À noite, fazia o meu avô prometer que me acordasse bem cedo para poder ir regar as árvores de fruta com ele.



Na cidade é difícil ter este contacto com a natureza mas, mesmo assim, tenho um parque relativamente grande, perto de casa, onde passeio o Yoshi. Quantos mais passeios ia dando no parque, mais vontade tinha de regressar e, aos poucos, os passeios de meia hora transformaram-se em passeios de uma hora, e depois de duas horas...

Nas férias sempre tive esse hábito também. Não escolho, em regra, cidades para visitar. Prefiro estar em contacto com a natureza, seja no campo ou na praia. Prefiro fazer caminhadas e olhar para o mar, é assim que me sinto bem, em paz.

Na alimentação, também tenho feito algumas alterações. Tenho comido, cada vez mais, legumes e fruta e bebido água e infusões. Os alimentos processados que tenho comprado são, na maior parte dos casos, sem glúten (não sou celíaca mas tenho alguma intolerância ao glúten...). O leite de vaca meio gordo foi substituído pelo leite de vaca magro e, recentemente, pelo leite de arroz. E também já não compro cereais açúcarados para o pequeno-almoço. Desde que fiz, gradualmente, estas mudanças, tenho-me sentido mais "acordada", a barriga já não fica inchada depois das refeições (e já perdi 10 cm!), perdi algum peso e sinto-me muito mais saudável :)

sexta-feira, 30 de Maio de 2014

A Minha Lista Verde

Nesta lista encontram-se todas as alterações que já implementei no meu dia-a-dia para diminuir a minha pegada ecológica. Pretendo mantê-la sempre actualizada e espero poder inspirar-vos a fazer o mesmo. Sintam-se à vontade para comentá-la sempre que quiserem e para sugerir outras ideias verdes.

Sempre que uma ideia for proveniente de um artigo de um blogue, site, revista ou livro, mencioná-lo-ei.


  1. Fecho a torneira enquanto lavo a loiça, as mãos e os dentes.
  2. Verifico, sempre, se a torneira ficou bem fechada. 
  3. Os autoclismos cá de casa possuem descarga controlada.
  4. Uso a máquina de lavar roupa e de lavar loiça apenas quando estão cheias e na temperatura mais baixa.
  5. Lavo o carro com um balde cheio de água e uma esponja e recorro à mangueira apenas no final.
  6. Uso papel higiénico reciclado.
  7. Separo e Reciclo o plástico, o vidro, o papel, as pilhas e baterias, os óleos, os fármacos e os pequenos electrodomésticos.
  8. Armazeno as rolhas de plástico e entrego-as num local próprio para possibilitar a construção de cadeiras de rodas.
  9. Não utilizo ar condicionado.
  10. Não utilizo produtos em latas de spray.
  11. Uso uma peça de roupa duas ou mais vezes, desde que se mantenham limpas e sem cheiros (dica 189 da lista da Vanessa).
  12. Reutilizo envelopes e embalagens.
  13. Aprendi a coser e a usar a máquina de costura para fazer os meus próprios arranjos.
  14. Uso, muitas vezes, a vassoura em vez do aspirador.
  15. Recuso os sacos de plástico nos supermercados e lojas.
  16. Uso lâmpadas de baixo consumo.  
  17. Evito água engarrafada. Comprei uma garrafa Bobble que possui um filtro próprio.
  18. Utilizo sacos de lixo biodegradáveis.
  19. Corro em parques e não utilizo aparelhos eléctricos para fazer exercício (dica 15 e 144 da lista da Vanessa).
  20. Asseguro-me que as luzes estão desligadas quando saio de casa (dica 25 da lista da Vanessa).
  21. Desligo todos os aparelhos eléctricos da tomada quando não estão a ser utilizados (dica 28 da lista da Vanessa).
  22. Compro conservas em vidro sempre que existe essa possibilidade.
  23. Tomo duches em vez de banho.
  24. Cancelei todas as subscrições de revistas.
  25. Deixo a roupa secar num estendal e não uso uma máquina de secar roupa (dica 230 da lista da Vanessa).
  26. Opto por produtos nacionais, sempre que existe essa possibilidade.



terça-feira, 13 de Maio de 2014

Receita Saudável: Salmão a Vapor no Forno

Hoje trago outra receita saudável, desta vez com um peixe que adoro, o salmão, cozinhado no forno. Foi a primeira vez que fiz uma receita em folha de alumínio, o que me deixou algo insegura quanto ao resultado final!

A receita é muito simples e tem ingredientes comuns. Ok, talvez o gengibre ainda não seja tão usual em nossas casas mas é um alimento muito saudável e versátil. Eu costumo congelá-lo e, depois, para usar, basta cortar uma ponta e ralar, nem sequer é necessário esperar que descongele! Não façam este prato sem o gengibre, dá mesmo outra vida ao peixe e aos legumes no forno!

Receita a dobrar para mim e o meu amor! :)

Salmão a Vapor no Forno:

Ingredientes:
  • 1 posta de salmão
  • ½ courgette
  • 1 tomate
  • Sumo de ½ limão
  • Sal
  • Pimenta
  • Gengibre
  • Manjericão

Modo de Preparação:

1 - Aquecer o forno a 200ºC
2 - Temperar o salmão com sal, pimenta, gengibre ralado e sumo de limão.
3 - Numa tigela, juntar a courgette cortada às rodelas, o tomate sem pele e sem sementes cortados em pequenos cubos e o manjericão. Temperar com sal e pimenta e misturar bem.
4 - Colocar papel alumínio numa travessa de forno. Colocar os legumes temperados e, por cima, a posta de salmão. Regar com o resto do tempero do peixe e legumes e dobrar o papel de alumínio, fechando bem sobre o peixe.
5 - Colocar no forno e deixar cozinhar cerca de 30 minutos ou até estar cozinhado a gosto. Servir.

[Copyright: Sara Duarte]


(Receita adaptada de “A Dieta dos 31 Dias” de Ágata Roquette)

segunda-feira, 12 de Maio de 2014

Minimizar com o Projecto 333 - O Início

A primeira vez que ouvi falar do Projecto 333 fiquei logo com vontade de minimizar o guarda-roupa. Pretendia conseguir construir conjuntos que gostasse sem demorar muito tempo e ter pouco trabalho com a roupa… Pouca roupa deve implicar menos tempo a passar a ferro, certo? No entanto, sentia um grande problema... No meio de tanta roupa, não sabia como e por onde começar!

Espero conseguir, com este post, ajudar-te caso estejas também neste impasse!



1 - Definir o teu estilo


Eu caía na tentação de comprar tudo aquilo que gostava sem pensar em conjuntos e se me identificava, ou não, com o estilo da peça. Podemos adorar de ver uma peça numa pessoa mas não nos identificarmos com ela… e eu não pensava muito nisso…

Eu acho que a forma mais fácil de definir um estilo é olhar para modelos em revistas ou procurar na net (eu usei o Pinterest e aconselho vivamente!) estilos que nos agradem, conjuntos que gostaríamos de construir e desfrutar.



2 - Criar a lista das 33 peças


O passo seguinte foi perceber que peças de roupa definiam esse estilo, quais eram as mais frequentes entre todas as imagens que fui gostando, no fundo, tentar responder à questão “Quais são as peças base do estilo que pretendo ter?”

Para teres uma ideia do aspecto que a lista poderá ter, vê aqui a lista que criei para mim.



3 - Desocupar um/o armário e organizar as 33 peças.

Eu fui procurando pelas gavetas e armário as peças que compunham a minha lista e fui colocando-as em cima da cama. Só depois organizei as peças, por tipo (casacos, camisas, blusas, calças, calções, ...) e por cor. Desta forma, o guarda-roupa fica com um ar organizado e torna-se mais fácil escolher peças que conjuguem.

[Copyright: Sara Duarte]

Assim que fiz a minha lista, apercebi-me que tinha praticamente tudo o que precisava! Como o objectivo é minimizar, não vou comprei o que me faltava, juntei apenas peças que achei que faziam sentido e que já tinha no meu guarda-roupa.



4º - Testar o guarda-roupa criado.

As 33 peças escolhidas deverão ser usadas durante 3 meses e apenas essas. Ao longo desse tempo, percebemos se nos identificamos de facto com o estilo escolhido e/ou se nos falta alguma peça chave no nosso guarda-roupa.

Eu já tirei fotos de dois conjuntos, criados nuns 2 minutos! Penso que é sempre mais fácil avaliar o nosso aspecto através de uma foto!

[Copyright: Sara Duarte]


É, ou não, um projecto minimalista espectacular?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...