27 de abril de 2014

Receita Saudável: Beringelas Recheadas com Grão

[Copyright: Sara Duarte]
Hoje trago uma receita vegetariana (lactovegetariana) que gosto de fazer, especialmente, à noite, quando não me apetece cozinhar e quero comer qualquer coisa saudável mas com muito sabor! Esta receita vai ao forno, é muito rápida e fácil de preparar!

Dá para 4 pessoas mas como, cá em casa, somos apenas dois faço uma só beringela. No entanto, não reduzo o resto da receita para metade! Reservo sempre o recheio que não cabe nas duas metades da beringela para depois juntar com esparguete ou arroz basmati, assim fico logo com outra refeição quase pronta, também vegetariana e saborosa!


Beringelas Recheadas com Grão:

Ingredientes:

  • 2 beringelas grandes
  • 1 lata de grão
  • ½ lata de tomate aos cubos
  • ½ embalagem de polpa de tomate
  • 1 cebola média
  • 2 dentes de alho
  • 1 colher de café de cominhos
  • 1 colher de café de açafrão
  • 1 colher de café de paprica
  • oregãos
  • azeite
  • queijo para ralar

Modo de Preparação:

1 - Cortar as beringelas ao longo do seu eixo maior. Retirar a polpa com uma colher e reservar. Colocar sal sobre as cascas das beringelas para que libertem a sua água.
2 - Num tacho, refogar a cebola e alho picados num fio de azeite. Quando a primeira estiver translúcida, adicionar a polpa das beringelas, previamente cortada em pequenos cubos, os cominhos, a paprica e o açafrão. Misturar bem.
3 - Juntar os cubos e polpa de tomate. Envolver bem e deixar cozinhar 5 minutos em lume brando.
4 - Adicionar o grão escorrido e os oregãos. Apurar.
5 - Rechear as beringelas, previamente escorridas, com a mistura do grão e polvilhar com queijo ralado a gosto (eu ralo queijo flamengo na hora).
6 - Levar a forno pré-aquecido a 180ºC durante 20 minutos ou até a beringela estar cozinhada a gosto.


(Receita adaptada da Revista Continente Magazine n.º 33)

23 de abril de 2014

Receita Saudável: Caril de Camarão

Mencionei aqui que ia começar a partilhar receitas saudáveis que vou encontrando e experimentando com o intuito de controlar as quantidades de sal e gordura que as refeições pré-cozinhadas possuem em excesso.

A primeira receita que partilho aqui faço sempre que me apetece comer algo saboroso e com molho - adoro acompanhar este prato com arroz basmati e cobri-lo com um pouco do molho do caril.

Quando vi a receita estranhei a presença da maçã mas descobri que combina muito bem com caril e, desde então, quando faço caril de vegetais também junto uma maçã ao molho, fica delicioso! Experimenta!

[Copyright: Sara Duarte]
Caril de Camarão:


Ingredientes:
  • 600 g miolo de camarão
  • 1 colher de sopa de caril
  • 1 cebola
  • 50 g de planta com sabor a manteiga
  • 1 maçã
  • 3 dl leite de coco
  • sal e pimenta q.b.

Modo de Preparação:
  1. Descascar ou descongelar os camarões e temperá-los com sal, pimenta e um pouco de caril.
  2. Picar a cebola e refogá-la na “manteiga”.
  3. Juntar a maçã, previamente cortada em pequenos cubos, o leite de coco, o restante caril e pimenta q.b.
  4. Juntar os camarões ao refogado e deixar cozinhar 5 minutos.
  5. Retirar os camarões e triturar o molho. Ferver o molho durante 10 minutos.
  6. Servir o camarão, regado com o molho de caril.

(Receita adaptada daqui.)

15 de abril de 2014

Partilhar refeições saudáveis

Para isso tenho tido um especial cuidado com as refeições, além de caminhar imenso com o cão, 2 horas por dia, no mínimo.

Em casa, tinha o mau hábito de aquecer refeições pré-cozinhadas ou encomendar pizza sempre que chegava cansada a casa, quando não tinha tempo ou não me apetecia de todo ir para a cozinha preparar mais uma refeição.

[Eating Well]
Quando descobri o programa “Cook Yourself Thin” da Gizzi Erskine, achei que era uma boa ideia seguir os seus conselhos. Descobrir receitas que se preparam num instante, receitas semelhantes às pré-cozinhadas que comprava no supermercado e receitas que, por vezes, apetece comer quando me sinto mais deprimida como, por exemplo, massas com molhos, tipo carbonara.
O objectivo principal é controlar as quantidades de sal e gordura que as refeições pré-cozinhadas têm em excesso e poder, assim, continuar a comer pratos que, à partida, seriam menos saudáveis.

Em 2 meses perdi 5 Kg, sem qualquer exercício físico, além das caminhadas com o Yoshi!

Criar a tabela de ementa semanal também serviu como incentivo para procurar mais receitas uma vez que, além de preferir variar bastante as refeições, não gosto de comer as coisas mais práticas de fazer como, por exemplo, bifes. Desde os meus 22 anos, quando comecei a praticar yoga, fui deixando de comer carne gradualmente, apesar de gostar de alguns enchidos e de uma boa feijoada! Como nunca gostei de peixe cozido, apenas de peixe grelhado e assado, as alternativas foram diminuindo. Mais tarde, descobri que sou alérgica à soja, o que também pôs, automaticamente, de lado muitas das refeições vegetarianas que fazia…

O desafio tem sido precisamente encontrar refeições fáceis de fazer, com sabor mas saudáveis. 


Vê aqui as receitas saudáveis que já partilhei no blogue:


6 de abril de 2014

Tabela da Ementa Semanal

Por esta altura já deves pensar que sou doida por listas e tabelas!
O vício começou quando fiz a minha primeira tabela das tarefas diárias. Foi apenas mais uma tentativa de encontrar uma forma de organização cá para casa e, como resultou, experimentei aplicar este conceito a outras coisas…

Passaram muitos anos desde que vi a primeira sugestão sobre criar uma ementa semanal para facilitar as compras do supermercado e o próprio trabalho na cozinha associado à refeição. A verdade é que nunca me atraiu muito e nunca pensei realmente por esta ideia em prática. Nunca me preocupei muito com as refeições. Apesar de gostar muito de cozinhar, principalmente para os outros, quando vivia em casa dos meus pais, era a minha mãe ou a empregada doméstica que tratavam disso e, nas férias de Verão, quando estava fora de casa, preparava saladas ou outras coisas muito práticas.

Mas, agora, com a casa para tratar, o cão, os estudos e a tentativa de recuperar algum tempo para mim, fazer refeições duas vezes por dia tornou-se numa tarefa chata. Chegava a hora da refeição e nunca sabia o que fazer. Lembrava-me logo da minha mãe quando nos pedia sugestões para a refeição seguinte e eu não percebia a razão para tanta preocupação se ainda há pouco tempo estávamos a comer!

A verdade é que, quando se chega tarde a casa, ir para a cozinha tratar de (mais) uma refeição é um suplício. Quanto mais imaginar o que fazer com o que se tem (ou não tem!) no frigorífico (porque já é tarde para descongelar…). Foi por isso que decidi dar uma hipótese a elaboração de uma ementa semanal.

Entretanto já faz um mês desde que criei a primeira tabela da ementa semanal cá para casa. Tem sido uma verdadeira ajuda e é muito fácil de fazer. A tabela que eu criei tem este aspecto:



 Com a ementa semanal:

  • Faço as compras de supermercado para a semana com todos os ingredientes que vou precisar.
  • Não perco tempo em idas de emergência ao supermercado por faltar qualquer coisa para a refeição que estou a preparar.
  • Deixei de me preocupar com a refeição que vou preparar a seguir.
  • Nunca me esqueço de descongelar peixe ou carne porque, assim que tomo o pequeno-almoço, vejo quais são as refeições do dia e retiro logo tudo o que preciso do congelador.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...